Perde tempo

Perde tempo

Perde tempo quem não vive um amor, não ousa, não tenta, não se joga nas experiências com medo de sofrer, de se magoar, de se arrepender… Mais tarde, não adianta lamentar, pois o tempo não volta e, muitas vezes, as pessoas também não regressam. Perde tempo quem já tentou todas as possibilidades e insiste em situações fadadas ao envenenamento e ao sofrimento. Os anos vão passando, e não se vê mais o que a vida apresenta repetidamente. Perde tempo quem tenta se fazer presente na vida de quem não faz questão de sua companhia, de pessoas que não lhe dão importância nem lhe valorizam. As pessoas que o apreciam encontram tempo para estarem em sua vida.

 

Perde tempo quem persiste em manter projetos, sonhos e relações cuja possibilidade de se concretizarem, conforme a vida sinalizou por A mais B, inexiste. Perde tempo quem fica patinando em situações com o intuito de salvar o outro ou provocar mudanças nele. Ilusão dessa pessoa, sabemos muito bem que ninguém modifica ninguém, nem a si próprio, se o outro não quiser. Perde tempo quem passa a vida com os olhos voltados para o passado, para pessoas e situações que se foram e já saíram de nosso caminho.

 

Perde tempo quem aceita e concorda, ainda que tacitamente, com atitudes arrogantes, egocêntricas, imaturas, de pessoas que se acham as melhores do mundo. Infelizmente os sujeitos que assim o fazem não percebem que estão reforçando as dificuldades do outro ao invés de ajudá-lo. Perde tempo quem não busca se conhecer por preguiça ou má vontade, mesmo sabendo que, quando se trata de vida, nada é de graça, nem nossos aprendizados o são. Perde tempo quem usa pessoas e artifícios para obter vantagens, sejam elas quais forem. Algumas pessoas, com certeza, são portadoras da “Síndrome de Zeus”, para não dizer: #seacham@omaximo.com. Vieram ao mundo apenas para serem aplaudidas e bajuladas, haja ego, haja paciência…

 

Perde tempo quem ainda acredita que veio ao mundo achando que tudo está a nosso alcance e que sempre a vida irá sorrir de forma boa e generosa, mesmo que não faça sua parte. Grande engano esse, pois as coisas dificilmente acontecem como e quando queremos. Perde tempo quem ainda não se deu conta de que há consequência para cada atitude, seja ela boa ou ruim. Há sempre um pedágio a ser pago, e o preço costuma ser exorbitante. Perde tempo quem fica preso a lembranças que não consegue deixar para trás. A vida constantemente muda nossa rota, indica novas direções e coloca a nossa frente oportunidades e pessoas interessantes, mesmo assim, não as vemos, nem com lupa!

 

Perde tempo quem fica se lamentando pelo que teve, pelo que se foi e passou. Com essa atitude, demonstra que não estava atento quando a oportunidade aconteceu, dormiu no ponto e não usufruiu do que a vida estava lhe proporcionando. Perde tempo quem não percebe que a vida é aqui e agora e que nada adianta ficar olhando para trás se não se tem mais acesso a fatos passados. A vida já aconteceu, deixou suas marcas, gostemos disso ou não. Perde tempo quem empurra a vida com barriga, por receio, por comodismo, por migalhas de atenção e por incapacidade de tomar as rédeas da própria história, uma vez que é bem mais fácil terceirizar responsabilidades e culpar os outros quando algo não acontece como se esperava.

 

Perde quem se fecha no próprio mundo, no próprio casulo, tentando resgatar, manter com garras e dentes o que lhe foi tirado e já aconteceu. Resta-lhe tentar minimizar o dano para que o futuro seja mais ameno e para que conviva com menos frustrações e culpas. Perde tempo quem não se dá conta de que o tempo é rasteiro e ligeiro e não volta, apenas permite ver lampejos do que aconteceu para que se tente não repetir o erro e se possa escrever uma narrativa diferente. Perde tempo quem lastima pelo que perdeu e não usa a oportunidade para se reinventar e extrair talentos desconhecidos de dentro de si mesmo, tornando-se chato, mal-humorado e sem graça. Não há quem o aguente, nem ele próprio.

 

Perde quem vive a vida do outro e, ao fazê-lo, deixa de lado o próprio trajeto. Perde tempo quem tenta ostentar situações mentirosas e falsas, pois uma hora a verdade se mostra, não importa quanto tempo passe. Por fim, perde tempo quem fica na ilusão de que consegue esconder suas angústias e suas decepções. É fato e ingenuidade achar que se consegue passar uma imagem de felicidade quando esta não é sentida nem vivenciada. As frustrações ficam estampadas no rosto. “Insistir nesse caminho é chover sempre no molhado”.

(Valéria Sílvia Pires, texto original publicado em A Mente é Maravilhosa)

Pense nisso e viva melhor!

Compartilhe este texto com seus amigos nas redes sociais!

Sou autor do site Motivação e Foco, consultor comportamental, apaixonado por gente e pela vida.

Quero trocar experiências e conhecimento com você, deixe seu comentário, envie um e-mail e me siga nas redes sociais.

Não há comentários

Deixe uma resposta