O pavão tímido

O pavão tímido

Era uma vez… um tímido pavão, mas tão tímido que só abria sua cauda escondido, para evitar que alguém o visse.

Um dia, esse pavão, certo de que ninguém o estava olhando, sente a necessidade de esticar suas plumas, e faz com a cauda um belíssimo círculo.

Mas ele não estava sozinho. Próximo dali, havia um grupo de naturalistas, que ficam fascinados pela beleza, harmonia e variedade das cores de suas plumas.

Aproximam-se para parabenizá-lo, mas o pavão, intimidado, escapa. Eles o alcançam e o asseguram que desejam somente mostrar sua admiração.

O pavão não consegue acreditar. Por demais vezes um grupo de artificiais o tinha criticado quando fazia seu círculo com a cauda, gesto para ele tão natural.

Os artificiais pensavam que queria se exibir, ostentando a vivacidade de suas cores, a expressividade de suas plumas, a amplidão de seu círculo.

O pavão agora compreende que os artificiais não são capazes de intuir a naturalidade de seu gesto, sabem intuir somente a ostentação.

(Do livro, “Metáforas para a evolução pessoal e profissional”, Consuelo C. Casula)

 

Pense nisso e viva melhor!

Gostou? então compartilhe com seus amigos nas redes sociais!

Sou autor do site Motivação e Foco, consultor comportamental, apaixonado por gente e pela vida. Quero trocar experiências e conhecimento com você, deixe seu comentário, envie um e-mail e me siga nas redes sociais.

Não há comentários

Deixe uma resposta