Felicidade também se aprende

Felicidade também se aprende

Muitas mentiras e meias-verdades convincentes, são contadas em nome dessa tal felicidade.

A imaginação popular acredita que a felicidade é uma espécie de “nirvana” que podemos alcançar. É um estado de plenitude e felicidade constante.

“Felicidade é perceber que nada é muito importante.” – (António Gala)

Em cada época, a sociedade estabelece as características ou condições que devemos ter para entrar nesse “paraíso”. Atualmente, a ideia de felicidade se baseia em três pilares: poder, riqueza e beleza.

Entretanto, a ideia do nirvana e seus três pilares, resultou em pessoas mais frustradas do que felizes. O poder, a riqueza e a beleza não trazem tanta felicidade como muitos acreditam.

Se esses três pilares realmente fossem indispensáveis para sermos felizes, não veríamos tantos ricos e poderosos viciados em drogas e com tantos problemas na sua vida pessoal.

Então, o que é a felicidade? Como podemos alcançá-la?

Um estudo realizado na Universidade de Harvard pelo professor Tal Ben-Shahar, especialista em psicologia positiva, mostra que podemos aprender a sentir alegria. Essa aprendizagem depende de técnica e prática.

Citamos aqui as seis chaves para a felicidade de acordo com Tal Ben-Shahar.

1- Aprenda a celebrar os fracassos

As pessoas que são capazes de avaliar positivamente as suas falhas conseguem ser mais felizes. Acreditar que somos infalíveis e que não podemos errar pode nos fazer muito mal. É uma posição idealista e tirana, porque todos nós cometemos erros.

Será que o erro não é o nosso incentivo diário para aprendermos coisas novas? Até a própria ciência, que é um modelo de rigor e perfeição, cometeu muitos enganos ao longo da sua história.

Acreditar que não devemos ou não podemos cometer erros é uma ideia que só provoca ansiedade e depressão.

2- Agradeça

Pode acreditar que a sua saúde, a sua família e o seu trabalho, são realidades que estarão consigo para sempre e não lhes dá o devido valor. Fazem parte da sua vida e se esquece de que pode perder tudo a qualquer momento.

Na verdade, esquecemo-nos de agradecer por todos esses milagres diários que parecem tão normais. Infelizmente, percebemos o seu valor quando os perdemos.

3- As endorfinas

As endorfinas são os hormonas da felicidade. Estão aqui mesmo, no nosso cérebro. Estão à nossa disposição o tempo todo, mas não sabemos como usá-las. Uma caminhada diária de trinta minutos ajuda a liberar endorfina. Um abraço de dez segundos libera três minutos de endorfina e felicidade.

É muito simples, é só uma questão de hábito. Realize todos os dias práticas que liberem as endorfinas e seja muito mais feliz.

4- Simplifique a vida

É verdade que vivemos só uma vez, mas isso não significa que devemos viver tudo de uma vez. Umas das doenças atuais é querer fazer tudo rapidamente e muitas coisas ao mesmo tempo. A nossa saúde física e mental não resiste por muito tempo a esse ritmo de vida tão estressante.

Aprenda a organizar-se. Dê a cada actividade o seu tempo e o seu valor. Provavelmente não vai morrer de fome se trabalhar um pouco menos. Tenha um tempo só para si e para seus entes queridos.

5- A meditação

Não precisa de se transformar num Lama Tibetano. Pare alguns momentos para praticar um exercício simples de meditação.

A meditação pode ser uma grande aliada para alcançar a paz interior e melhorar as habilidades cognitivas, criativas e a força de vontade.

6- Cultive a resiliência

Sim, podemos cultivar a resiliência. Não é uma habilidade inata, mas podemos desenvolvê-la. Ela pode ser definida como a capacidade de lidar com situações adversas e sair delas fortalecido.

É preciso se esforçar para ser uma pessoa resiliente. Precisamos de encontrar a flor dentro do lodo, a aprendizagem nas dificuldades. É o caminho para a sabedoria e a felicidade entendido em termos realistas: uma relativa paz interior e a capacidade de ver o melhor em tudo o que vivemos.

(Edith Sánchez)

Pense nisso e viva melhor!

Compartilhe este texto com seus amigos nas redes sociais!

Sou autor do site Motivação e Foco, consultor comportamental, apaixonado por gente e pela vida.

Quero trocar experiências e conhecimento com você, deixe seu comentário, envie um e-mail e me siga nas redes sociais.

Não há comentários

Deixe uma resposta