A fábula do avestruz

A fábula do avestruz

Ostrich

Antigamente, o avestruz tinha o pescoço curto, como todas aves. Naqueles dias, ele queria mais que tudo ficar amigo do crocodilo. Todos os pássaros avisaram que estava cometendo um grande erro.

– Você não pode confiar no crocodilo – disse o macaco. – Ele é malvado, mal-educado, e espanta todos os animais para longe do rio.

– E, além disso, é preguiçoso – disse o gnu. – Não faz nada o dia inteiro, fica só deitado, esperando aparecer algum almoço.

– E só pensa nele mesmo – acrescentou o elefante. – É só você virar as costas que ele lhe dá uma mordida. Não, não dá para confiar no crocodilo.

Mas o avestruz nem ligava, insistindo em querer brincar com o crocodilo.

Um dia, o crocodilo estava especialmente faminto, pois ficara sem o desjejum. Assim, disse para o avestruz:

– Meu bom amigo, estou com uma terrível dor de dentes! Você se incomodaria de enfiar a cabeça na minha boca, para ver o que há de errado?

E escancarou bem as mandíbulas.

– Ora, é claro, querido crocodilo! – disse o avestruz.

E chegou a cabeça bem perto.

– Mas você tem tantos dentes! – gritou o avestruz. – Qual é o que está doendo?

– É um lá atrás – disse o crocodilo. – Olhe bem lá atrás!

E o avestruz enfiou a cabeça lá dentro.

– Está muito escuro aqui dentro – gritou. – E são tantos dentes! Ainda não vi qual é o que dói.

E o avestruz enfiou ainda mais a cabeça.

– É este? – gritou.

– É isto! – o crocodilo gritou de volta. E fechou a bocarra, prendendo a cabeça do pobre avestruz.

– Socorro!! – gritava, puxando para trás com o corpo, tentando retirar a cabeça.

Mas o crocodilo puxava para o outro lado, segurando firme. A ave puxava para um lado, ele puxava para o outro. E o pescoço do avestruz foi esticando.

Ficaram se puxando o dia inteiro, e o pescoço do avestruz esticava cada vez mais. Deve ter doído bastante, mas o avestruz continuava puxando, pois não queria perder a cabeça.

Por fim, o crocodilo ficou cansado de puxar e largou. O avestruz pulou para trás e saiu correndo do rio o mais rápido que podia.

E até hoje tem o pescoço comprido, para se lembrar de ficar longe de tipos como o crocodilo.

Autor: Esopo

 

Cuidado com quem você considera seu amigo!

Pense nisso e viva melhor!

Gostou? Então compartilhe com seus amigos nas redes sociais!

Sou autor do site Motivação e Foco, consultor comportamental, apaixonado por gente e pela vida. Quero trocar experiências e conhecimento com você, deixe seu comentário, envie um e-mail e me siga nas redes sociais.

Não há comentários

Deixe uma resposta