Como aprender com a derrota em 4 passos.

Como aprender com a derrota em 4 passos.

Não é de estranhar que a maior parte das pessoas prefira não falar das suas derrotas – ou sequer pensar nelas –, mas ao ignorá-las perde uma série de dados valiosos para o futuro. Apesar de muitos o reconhecerem, nem sempre agem. “Enquanto crianças aprendemos bastante cedo que se fizermos qualquer coisa errada somos culpados. É um sentimento desagradável. Não o queremos sentir, empurramos para o lado”, diz Amy Edmondson, professora da Universidade de Harvard, acrescentando que mesmo quando queremos reconhecer os erros e aprender com eles, a verdade é que “não temos ou não praticamos as capacidades para o fazer” com a frequência desejada.

Psicólogo clínico e autor de Emotional Firt Air, Guy Wich delineou quatro aspectos, num artigo para o Huffington Post, para transformar uma tarefa que por vezes parece gigante e abstrata num exercício tangível.

 

Reavaliar o planeamento

“Quanto tempo dedicou a planear a melhor forma de atingir um objectivo antes de começar?”, pergunta Wich. Por outras palavras, passou tempo suficiente a pensar em questões como possíveis desafios e como superá-los? Wich sugere que reflita como esses contratempos poderiam ter sido resolvidos logo no início.

 

Reavaliar a preparação

Se o mais pequeno obstáculo consegue facilmente desviá-lo do plano inicial, a probabilidade de sucesso é consideravelmente menor. Wich dá um exemplo: o objetivo de melhorar a saúde passando a ir três vezes por semana ao ginásio, pode ser arruinado quando a babysitter cancela – isto se não houver já um plano alternativo.

 

Reavaliar execução

Por mais dedicada que seja uma pessoa, provavelmente vai sentir altos e baixos no nível de esforço e dedicação ao longo de um projeto. Wich sugere que olhe para o passado e que identifique quando se sentiu mais desmotivado e quais as circunstâncias externas que contribuíram para isso. Assim, vai conseguir mais facilmente antecipar estes acontecimentos e saber como se preparar para eles. O psicólogo dá ainda duas sugestões: criar incentivos especiais em momentos críticos e fazer brainstorming de formas como gerir fatores externos.

 

Focar-se nas variáveis sob o seu controle

A derrota pode fazer qualquer um entrar num ciclo de autocomiseração e sentir que não tem capacidade para mais. Tudo isso é, segundo Wich, uma partida da própria mente. Dá o exemplo que uma pessoa que não conseguiu a promoção que queria por não ter resultados de vendas suficientemente bons – apesar de se ter esforçado ao máximo. Em vez de pensar que simplesmente não tem capacidade, por que não se inscrever num curso para melhorar o discurso ou passar mais tempo a conhecer os clientes?

Pense nisso e viva melhor!

Compartilhe este texto com seus amigos nas redes sociais!

Sou autor do site Motivação e Foco, consultor comportamental, apaixonado por gente e pela vida. Quero trocar experiências e conhecimento com você, deixe seu comentário, envie um e-mail e me siga nas redes sociais.

Não há comentários

Deixe uma resposta